Carregando...

shutterstock_68961208.jpg

user5 de julho de 2019
Imagem – Divulgação

Mês de julho chegou e com ele as férias escolares. Para você que pretende fazer uma viagem em família, confira algumas dicas importantes para que o passeio seja um verdadeiro sucesso.

Tudo começa com a escolha seu destino de lazer. A internet é uma ferramenta valiosa de pesquisa e de compra de hospedagens e passeios. Mas antes de efetivar sua compra verifique a reputação e avaliação do hotel em sites especializados e independentes.  No www.tripadvisor.com.br  há depoimentos reais  de diversos hotéis e destinos. A precaução é essencial, já que muitas vezes a imagem que se vende pela internet pode não corresponder com realidade do local.

Não se esqueça de fazer uma revisão no seu veículo. Antes de pegar a estrada confira toda a parte mecânica e elétrica, os pneus e estepe. Planeje também todos os gastos da viagem de carro:  o site www.mapeia.com.br pode ser bastante útil nesta hora, nele há uma ferramenta que calcula o custo dos pedágios que estarão pelo caminho e quanto deverá ser o investimento em combustível.

É importante conferir a previsão do tempo: chuva, frio e cerração, típicos do inverno, pedem mais atenção na estrada e também determina qual será tipo de programação no seu destino de lazer. A chuva pode atrapalhar passeios ao ar livre.

Já que o passeio é em família, viagens de longa distância podem se tornar pesadelos para as crianças. Leve lanchinhos, água, revistas em quadrinhos, baixe filmes para tabletes e celulares e faça uma divertida seleção musical para distrair a criançada.

Por fim, garanta um kit de primeiros socorros com remédios para dor de cabeça, enjoo, dores musculares, antialérgicos e curativos. Todo cuidado é pouco e prevenir nunca é demais.

Tudo conferido? Agora é só fazer uma boa viagem.



user1 de agosto de 2018
Foto: Internet

Passeios usando o trem como meio de transporte são muito comuns na Europa. Segundo os viajantes de plantão, umas das melhores coisas por lá é que você quase sempre tem como opção pegar um trem e ir onde quiser. Isso também se torna uma conveniente escolha para o bolso, pois quase sempre o trem é mais em conta que os outros transportes.

Se você for daqueles turistas que não se importa com o tempo gasto, mas sim com as maravilhosas e diferentes paisagens que poderá ver, creio então que uma viagem de trem será realmente uma boa pedida.

Infelizmente no Brasil, nosso sistema ferroviário (me refiro aos trens de maiores distâncias e não metrôs, por exemplo) tem como finalidade o transporte de mercadorias. Antigamente até mesmo essa finalidade tinha uma maior frequência, hoje em dia, a preferência está para o transporte rodoviário.

É tão grande a desconsideração por esse meio de transporte por parte da maioria dos brasileiros, que foi preciso da ajuda de um francês para tentar reativar esse sistema. Patrick Henri Ferdinand Dollinger, em 1977 fundou a ABPF – Associação Brasileira de Preservação Ferroviária, com o objetivo de preservar e conservar o patrimônio histórico ferroviário brasileiro.

Hoje, além da ABPF, existe outra associação (ABOTTC – Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais) que juntas estão trabalhando na revitalização e recuperação do prestígio dos nossos caminhos de ferro.

Os passeios de trem e bonde atualmente ainda preservam um certo charme de antigamente e são inesquecíveis na forma dinâmica como contam a história das cidades, reservando surpresas em seus roteiros serranos, rurais e urbanos. O horário e o valor das passagens varia de acordo com roteiros e distâncias; os trens podem ser fretados por grupos mediante consulta prévia com a operadora indicada em cada roteiro.

Segue algumas dicas para esta modalidade de turismo em São Paulo:

Expresso Turístico Paranapiacaba:

Encravada na Serra do Mar, esta charmosa vila projetada pelos ingleses na segunda metade do século XIX, durante a construção da ferrovia que liga Santos a Jundiaí, recebe todos os fins de semana milhares de turistas em busca de trilhas, cachoeiras com vista panorâmica do litoral paulista, museus sobre a ferrovia ou apenas para almoçar nos aconchegantes restaurantes familiares com comida caseira feita em fogão a lenha.

O trem, com vagões de passageiros reformados da década de 60, sai das estação Luz e Santo André e faz o percurso de 45 quilômetros em uma hora e meia. Todo o trajeto é acompanhado por monitores que dão informações históricas sobre a ferrovia paulista e as estações da CPTM. Todos os anos, no mês de julho, acontece em Paranapiacaba o Festival de Inverno com comidas típicas, shows de bandas famosas, bebidas quentinhas e muita neblina, como se fosse na Inglaterra. Para quem gosta de pedalar, é possível comprar um bilhete extra para levar sua bicicleta no trem.

Serviço

Embarque: estação da Luz e estação Santo André

Quando: todos os domingos, às 8h30 (estação da Luz) e às 9h (estação Santo André). O trem retorna de Paranapiacaba às 16h30. Confira no site da CPTM as promoções para grupos com mais de duas pessoas

Onde comprar: A passagem pode ser adquirida todos os dias, das 9 às 18​h, nas bilheterias das estações Luz e Santo André. O bilhete de trem não contempla os passeios locais.

Site: http://goo.gl/MBvsLe

Trem dos Ingleses – Paranapiacaba:

Chegando em Paranapiacaba, seja de carro, ônibus ou pelo trem Expresso Turístico, não deixe de fazer um passeio de trem a bordo do clássico vagão de passageiros de 1914 tracionado por uma locomotiva a vapor inglesa de 1867, a terceira mais antiga em funcionamento no Brasil. O percurso tem cerca de 2 quilômetros e é feito dentro do antigo pátio de manobras da São Paulo Railway.

Serviço

Embarque: Museu Ferroviário

Quando: aos domingos e feriados, das 10h às 16h, com partidas de hora em hora. Duração: 20 minutos

Onde comprar: ingressos podem ser retirados na bilheteria do museu.

Site: http://goo.gl/cwMJ6E

Expresso Turístico Mogi das Cruzes:

O trem sai da Estação da Luz todo segundo sábado do mês e faz o percurso de 47 quilômetros até Mogi das Cruzes em uma hora e meia. Este passeio é muito indicado para quem gosta de natureza, flores e história. Em Mogi, você pode contratar os passeios em agências de turismo locais e escolher entre os roteiros rurais, que passam pelos orquidários e produtores de flores da cidade, conhecer o Parque das Neblinas ou os museus do centro histórico. O trem também é composto de vagões de passageiros reformados da década de 60 tracionados por locomotiva a diesel de 1952. Os ciclistas podem comprar um bilhete extra para levar sua bicicleta no trem.

Serviço

Embarque: estação da Luz

Quando: segundo sábado do mês, às 8h30. Retorno de Mogi às 16h30. Confira no site da CPTM as promoções para grupos com mais de duas pessoas

Onde comprar: A passagem pode ser adquirida todos os dias, das 9 às 18​h, nas bilheterias das estações Luz e Santo André. O bilhete de trem não contempla os passeios locais.

Site: http://goo.gl/dOvbNm

Expresso Turístico Jundiaí:

Quem gosta de trens, história, natureza e frutas precisa fazer esse passeio até Jundiaí. Saindo da estação da Luz aos sábados, o expresso faz um percurso de 60 quilômetros até a cidade, no interior paulista. Lá, os roteiros mais procurados são o do museu ferroviário, que conta a história das ferrovias paulistas; o passeio na serra do Japi e o famoso tour pelas adegas e fazendas de uvas da região com direito a degustação. Para quem gosta de pedalar, é possível comprar um bilhete extra para levar sua bicicleta.

Serviço

Embarque: Estação da Luz

Quando: aos sábados, às 8h30. Retorno de Jundiaí às 16h30. Confira no site da CPTM as promoções para grupos com mais de duas pessoas

Onde comprar: A passagem pode ser adquirida todos os dias, das 9 às 18​h, nas bilheterias das estações Luz e Santo André. O bilhete de trem não contempla os passeios locais.

Site: http://goo.gl/5zyLfc

Trem dos Imigrantes – São Paulo:

Com entrada pelo Museu do Imigrante, antiga hospedaria localizada no bairro da Mooca que recebia os imigrantes que chegavam ao Brasil pelo porto de Santos no fim do século XIX e início do século XX, este passeio refaz parte do trajeto original a bordo de uma composição tracionada por uma maria fumaça a vapor de 1922. O passeio dura em torno de 25 minutos.

Serviço

Embarque: Memorial da Imigração. R. Visc. de Parnaíba, 1316, Mooca, São Paulo – SP

Quando: aos sábados, domingos e feriados, das 10h às 16h, com saídas de hora em hora

Onde comprar: a passagem pode ser adquirida na bilheteria do museu.

Site: http://goo.gl/cwMJ6E

Trem do Mirante – Campos do Jordão:

O trem sai da estação Emílio Ribas e faz um percurso de cerca de uma hora até a estação Eugênio Lefèvre, localizada em Santo Antônio do Pinhal. No caminho, contemple as charmosas paradas que contam um pouco da história da ferrovia, que tem mais de 100 anos. Já no mirante, não deixe de tomar um café, experimentar o tradicional bolinho de bacalhau da parada e visitar as lojinhas de artesanato.

Serviço

Embarque: Estação Emílio Ribas. Av. Emílio Ribas, s/n, Capivari, Campos do Jordão – SP. Quando: de sábado a quarta-feira, às 10h e 14h

Onde comprar: o bilhete deve ser comprado na estação. Pede-se chegar com, pelo menos, meia hora de antecedência.

Bonde Turístico – Campos do Jordão:

Esse percurso é feito pelos simpáticos bondes vermelhos e amarelos, que já se tornaram uma das marcas registradas de Campos do Jordão. Eles saem da estação de Emílio Ribas, atravessam toda a cidade e depois de 25 minutos chegam ao Portal de Campos do Jordão.

Serviço

Embarque: Estação Emílio Ribas. Av. Emílio Ribas, s/n, Capivari, Campos do Jordão – SP. Quando: de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h. Sábados, domingos e feriados, das 10h às 16h.

Onde comprar: o bilhete deve ser comprado na estação. Pede-se chegar com, pelo menos, meia hora de antecedência.

Bonde Turístico Urbano- Campos do Jordão:

Há em Campos do Jordão um segundo percurso feito nos tradicionais bondes amarelos, que vai da estação Emílio Ribas à estação Abernésia numa viagem de ida e volta.

Serviço

Embarque: Estação Emílio Ribas. Av. Emílio Ribas, s/n, Capivari, Campos do Jordão – SP. Quando: sábados, domingos e feriados, às 16h e 17h.

Onde comprar: o bilhete deve ser comprado na estação. Pede-se chegar com, pelo menos, meia hora de antecedência

Trem da Serra- Pindamonhangaba:

Percorrendo um trajeto de 47 quilômetros somente na ida, o Trem da Serra faz um dos percursos mais belos do Brasil entre as cidades de Pindamonhangaba, no Vale do Paraíba, a Campos do Jordão, na Serra da Mantiqueira. No meio da viagem, o moderno vagão automotriz que conduz os passageiros faz uma parada de 30 minutos na estação Eugênio Lefèvre, localizada em Santo Antônio do Pinhal. Lá, não deixe de conhecer o Mirante da Santa Expedicionária (com ampla vista para a região) e experimentar o tradicional bolinho de bacalhau.

Serviço

Embarque: estação Pindamonhangaba. Rua Martin Cabral, 87, Centro, Pindamonhangaba – SP. Quando: sextas-feiras, às 9h. Retorno de Campos às 15h

Onde comprar: o bilhete deve ser comprado na estação. Pede-se chegar com, pelo menos, meia hora de antecedência

Trem das Águas Claras – Pindamonhangaba:

O percurso é curto, dura cerca de 40 minutos, e liga a cidade de Pindamonhangaba ao Parque das Água Claras. Este passeio deve ser feito com agendamento.

Serviço

Embarque: Estação Pindamonhangaba. Rua Martin Cabral, 87, Centro, Pindamonhangaba – SP. Quando: de segunda a sexta-feira. Somente com agendamento. Onde comprar: somente com agendamento

Piracuama- Pindamonhangaba:

Quem curte turismo rural, comida feita em fogão a lenha, deitar em uma rede após o almoço e sentir aquela brisa fresca, precisa conhecer o distrito de Piracuama, em Pindamonhangaba. E para ficar ainda melhor, é possível chegar lá de trem.

Serviço

Embarque: Estação Pindamonhangaba. Rua Martin Cabral, 87, Centro, Pindamonhangaba – SP

Quando: sábados, às 13h30, e domingos, às 10h e 14h. O bilhete não inclui passeios no local

Onde comprar: o bilhete deve ser comprado na estação. Pede-se chegar com, pelo menos, meia hora de antecedência

Trem Turístico de Guararema:

O trem turístico de Guararema começou a operar em 2015 e já tem uma vantagem sobre os outros passeios: nele está operando a maior maria fumaça em funcionamento no Brasil. A “Velha Senhora” é uma locomotiva americana fabricada em 1927 e que foi totalmente restaurada. Ela puxa três vagões de passageiros de 1930 e faz um percurso de 5,5 quilômetros até a estação Luis Carlos. Mas muito antes de ser levada para Guararema para servir como trem turístico, a Velha Senhora já passeou muito pela cidade quando era usada para o transporte de passageiros entre as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. O passeio tem duração total de duas horas e meia, que inclui todo o trajeto de Guararema a Luís Carlos, parada na vila para visitação e retorno.

Serviço

Embarque: Estação Ferroviária de Guararema. Rua Coronel Ramalho, s/n, Centro, Guararema – SP

Quando: sábados, domingos e feriados, com saídas às 10h e 15h. Onde comprar: o bilhete deve ser comprado na estação de Guararema

Site: http://goo.gl/YpSyXJ

Trem Campinas- Jaguariúna:

Este é um dos passeios ferroviários mais lindos do interior paulista. O trem, puxado por uma locomotiva Alco CP 905 original da Cia. Paulista de Estradas de Ferro, fabricada em 1958, sai de Campinas e faz um percurso de 30 quilômetros até Jaguariúna. Também é possível embarcar em Jaguariúna e fazer o caminho inverso. No trajeto, os passageiros poderão conhecer diversas estações antigas da ferrovia e, ao chegar em Jaguariúna, visitar o centro da cidade com suas feirinhas de artesanato. A bordo, contemple a paisagem ao som da banda Nostalgia Musical, que toca ao vivo nos vagões. O tempo total de viagem é de três horas e meia.

Serviço

Embarque: Estação de Anhumas: Rua Dr Antônio Duarte Conceição, 1501, Jardim Madalena, Campinas – SP. Ou na estação de Jaguariúna: Av. Marginal, 600 – Centro, Jaguariúna – SP

Quando: partindo de Campinas: sábados, às 10h10. Domingos e feriados: 10h10 e 14h30. Partindo de Jaguariúna: sábados, às 15h, e domingos e feriados às 12h30

Onde comprar: o bilhete deve ser comprado na estação de Jaguariúna ou Anhumas.

Site: http://goo.gl/gxCR7M

Trem Turístico Mari Bonita – Paraguaçu:

Este passeio de trem em Paraguaçu Paulista é puro charme. Você embarca em um trem puxado por uma locomotiva inglesa a vapor fabricada em 1879 e, em um trajeto de 24 quilômetros, faz uma viagem no tempo sobre os trilhos da antiga Estrada de Ferro Sorocabana. Durante o percurso, algumas paradas precisam ser feitas para aumentar a pressão das caldeiras da Dona Lina, como é chamada a maria fumaça. Ao chegar na Estação de Sapezal, os passageiros poderão acompanhar a manobra da locomotiva no viradouro, visitar o Memorial “Irmãs Galvão”, a dupla caipira feminina mais antiga do Brasil, entre outras atividades programadas.

Serviço

Embarque: Antiga Estação Ferroviária – Av. Miguel Deliberador, s/nº, ao lado da Fonte Luminosa, Paraguaçu Paulista – SP

Quando: sábados e domingos, às 9h. Duração do passeio: 3 horas

Onde comprar: o bilhete deve ser comprado na estação de Paraguaçu Paulista com, pelo menos, meia hora de antecedência

Site: http://goo.gl/xgism8

(Com Informações: www.trilhaseaventuras.com.br)

________________________________________________

FERNANDO ALONSO é Turismólogo, especialista em Economia do Turismo.

 

 



user24 de julho de 2018
Foto: Internet

Resolveu deixar de lado as chateações de aeroportos e rodoviárias para fazer uma viagem de carro? Para que a decisão revele-se acertada é importante seguir alguns passos. Pegar a estrada é sinônimo de liberdade e autonomia, mas pode ser bastante cansativo. Principalmente quando algo dá errado. Confira abaixo 10 dicas para que a viagem de carro seja perfeita:

  1. Calcule os gastos com gasolina e pedágio

Diferente de viagens de ônibus ou de avião, nas quais você já compra as passagens com antecedência e sabe exatamente quanto gastará, o custo de uma viagem de carro pode estar mascarado. O site “Mapeia.com” pode ser bastante útil para conferir a viabilidade da empreitada. Nele há uma ferramenta que calcula o custo dos pedágios que estarão pelo caminho e quanto deverá ser investido em gasolina.

  1. Revise o veículo com antecedência

Faróis e freios têm que estar funcionando corretamente. Leve o carro ao mecânico com ao menos 15 dias de antecedência para ter certeza de que qualquer reparo necessário será realizado a tempo. Cheque os níveis de óleo e água. Antes de entrar na estrada, encha todos os pneus, inclusive o estepe – mas este não servirá para nada se você não souber trocar um pneu. Não sabe? Talvez seja melhor aprender antes de viajar.

  1. Evite deixar a cidade na hora do rush

Ninguém quer começar uma viagem longa se estressando por conta do trânsito caótico da metrópole. Além disso, sair no horário errado pode alongar bastante o tempo dentro do carro. Saia de manhã, antes das 7h, à tarde, entre 13h e 16h ou à noite, depois das 20h.

  1. Não confie cegamente no seu GPS

Ele é seu fiel companheiro, sem ele você se perderia todos os dias da sua vida? O amor pelo GPS pode ser absolutamente genuíno e compreensível. Mas a verdade é que, longe de casa, ele pode vir a falhar, ditando caminhos perigosos ou sem asfalto. Principalmente se ele estiver desatualizado. O bom e velho mapa, por outro lado, tem todos os caminhos possíveis. Resgate-o do fundo da gaveta.

  1. Viaje com alguém que você goste bastante

A dica, que vale para qualquer viagem, pode ser primordial no caso de um longo trajeto percorrido de automóvel. Não há para onde correr dentro do carro. Aquelas pessoas que ali estão são as únicas com quem você irá conviver pelas próximas horas – e em um espaço confinado. Certifique-se de que você as conhece bem.

  1. Cheque sempre o nível de gasolina

Não espere o marcador de gasolina ficar no vermelho e piscante para lembrar-se da existência dele. Você nunca sabe a que distância estará o próximo posto. Se o tanque estiver com menos de dois terços da capacidade total significa que é hora de abastecer.

  1. Prepare as músicas com antecedência

Trocar CDs ou escolher uma música no MP3 Player enquanto dirige a 100 Km/h não parece a melhor das ideias. Você confia no gosto musical daqueles que te acompanharão na viagem? Na dúvida, escolha com antecedência o que vai querer ouvir durante o trajeto, mas certifique-se de escolher algo que todos os passageiros apreciarão.

  1. Leve comidas e bebidas

Levar a própria comida de casa é melhor do que confiar em postos de gasolina suspeitos pelo caminho. Além disso, é uma forma de economizar. Opte por frutas e sanduíches leves, que não pesem no estômago. Leve também bastante água, para manter todos hidratados.

  1. Seja flexível em relação ao caminho

Talvez tenha algo interessante no trajeto: uma cachoeira, uma antiga estação de trem ou o melhor rocambole do País. Não tenha medo de desviar um pouco o caminho para aproveitar surpresas não planejadas.

  1. Mantenha as crianças ocupadas

Dispersas por natureza, crianças podem transformar uma viagem tranquila em caos total. Você conhece seus filhos/sobrinhos/netos, leve o que quer que seja que funciona com eles. Videogames portáteis ou histórias em quadrinhos podem funcionar com algumas crianças, mas outras podem se sentir enjoadas. Músicas fáceis de cantar e brincadeiras que exercitem a mente dos pequenos são boas pedidas.

(Fonte: IG Turismo)

___________________________________

Colunista: Fernando Alonso é Turismólogo, especialista em Economia do Turismo

 

 

 



user16 de julho de 2018
Foto: Internet

Além do medo de ter as bagagens roubadas nos terminais e arredores do aeroporto, os viajantes têm mais uma razão para se preocupar com o sumiço dos seus pertences. São cada vez mais freqüentes os casos de extravio ou furto de objetos de dentro das malas despachadas, ainda na área restrita a funcionários.

Em muitos casos, a bagagem é aberta cuidadosamente, os itens mais valiosos são retirados, ela é fechada e colocada de volta na esteira. O viajante nem percebe a violação e só dá pela falta de alguns pertences ao chegar em casa ou no hotel.

Só no Aeroporto Internacional de Guarulhos, foram mais de 1.400 casos de furtos desse tipo no último ano. Segundo a polícia, a maioria das ocorrências de furto registradas na delegacia da Polícia Civil, no aeroporto, é referente ao extravio de bagagens. Os números reais, no entanto, podem ser ainda maiores, já que muitas pessoas notificam a companhia aérea, mas não registram queixa.

De acordo com a lei, a empresa aérea é responsável pelas malas do momento em que ela é despachada até o recebimento das mesmas pelo passageiro. Caso a bagagem seja extraviada, danificada ou algum pertence seja roubado, é preciso fazer a declaração de irregularidade de bagagem, apresentando o comprovante de despacho, no guichê da empresa aérea, ainda na sala de desembarque. As companhias aéreas não aceitam reclamações posteriores. As empresas calculam o ressarcimento pela Convenção de Montreal e o Código Brasileiro de Aviação e ele deve ser feito em até 30 dias. Como o valor costuma ser considerado baixo, muitos passageiros optam por entrar com uma ação na justiça.  Para reduzir as chances desse transtorno acontecer com você, confira 10 dicas para sobreviver ao vai e vem nos aeroportos:

  1. Pense duas vezes antes de comprar uma mala sofisticada. Bagagens novas e de grife tendem a chamar a atenção dos bandidos por serem indicativo de alto poder aquisitivo.
  2. Personalize a mala com fitas coloridas e adesivos para facilitar sua identificação. Dessa forma, as chances de alguém levá-la por engano são menores.
  3. Faça sua mala se destacar. Os bandidos costumam furtar peças comuns que se assemelham à de tantos outros passageiros, como as pretas de rodinhas, por chamarem menos atenção. Portanto, considere comprar uma bagagem de cores chamativas ou decore a sua com fitas e acessórios coloridos.
  4. Coloque os itens mais valiosos no fundo da mala. Com poucos minutos para fazer o assalto, os bandidos tendem a pegar o que está no topo ou nos bolsos.
  5. Disfarce os produtos de valor acomodando-os dentro da mala em embalagens que não despertam a atenção, como uma bolsa térmica ou uma fralda de bebê, por exemplo.
  6. Identifique a sua mala com uma etiqueta ou adesivo com seu nome, endereço e telefone. Isto poderá auxiliar na localização, no caso de extravio.
  7. É possível declarar à empresa aérea os itens contidos na mala despachada, com os respectivos valores, ainda no check-in. O atendente deve ficar com uma cópia da lista e entregar outra assinada ao passageiro. Nesse caso, a empresa aérea poderá verificar o conteúdo listado e cobrar um adicional sobre o valor declarado.
  8. Para não despertar a atenção dos bandidos, tire os produtos comprados da caixa e arranque a etiqueta. Os presentes para a família e os amigos também devem ser levados sem embalagem.
  9. Não coloque objetos de valor, como jóias, dinheiro e cartões de crédito, na mala que será despachada. Eles devem ser transportados na mala de mão. O mesmo vale para produtos eletrônicos, bastante visados pelos bandidos.
  10. Se for possível, opte por vôos diretos. Quanto maior o número de conexões, maiores são as chances da sua mala se perder pelo caminho.

____________________________________________

Colunista: Fernando Alonso é Turismólogo , especialista em Economia do Turismo.

 

 

 

 

 

 

 

 



user9 de julho de 2018
Foto: Internet

Animais de estimação estão se tornando membros da família, certo? Então, nada mais justo que a família inclua os bichos no roteiro.

Algumas companhias aéreas permitem que os donos viajem com o seu animal na poltrona, dependendo do tamanho. Nesses casos, o proprietário tem que avisar que vai levar o animal na hora de reservar a passagem e pagar excesso de bagagem, mesmo que o passageiro não tenha ultrapassado o limite permitido. A American Airlines é uma das companhias que oferece o luxo, mas, para usufruir, é preciso fazer uma reserva antecipada, já que cada avião pode levar apenas sete animais na cabine. Em casos especiais, como o de deficientes visuais acompanhados de cães-guia, não são cobradas taxas extras na passagem.

Em geral, os animais viajam mesmo junto com as demais bagagens, em caixas especiais em que eles ficam em pé e conseguem até se mover (é necessário que o bicho consiga dar uma volta em seu próprio corpo).

Pessoas em viagem para o exterior precisam ter o Guia de Trânsito Animal (GTA) e o Certificado Zoosanitário Internacional (CZI). Qualquer veterinário credenciado no Ministério da Agricultura pode emitir o GTA. Já o CZI é emitido apenas pelos profissionais que atuam nas Delegacias Federais da Agricultura dos aeroportos internacionais. O dono também precisa estar com a carteira de vacinação do animal. Só podem viajar sem a vacinação em dia animais com menos de quatro meses. Se o animal tiver tomado a primeira vacina, só pode viajar depois de 30 dias da dose.

A GTA, que ainda não é necessária para transportar peixes ornamentais e demais animais de pequeno porte, como hamsters, deixou de ser exigida, desde julho de 2006, para viagens pelo Brasil com cães e gatos, mas os donos dos animais devem portar todos os documentos em dia (como as vacinas, por exemplo, e o Certificado Sanitário, com a raça, nome, origem do animal contendo pedigree, caso ele tenha, emitido pelo Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de origem).

Além de ter certeza que a caixa transportadora está confortável para o animal, é espaçosa e com boa circulação de ar, o dono deve evitar dar comida pesada ao bicho pelo menos 12 horas antes do voo. O ideal, segundo os veterinários, é oferecer apenas água.

Em viagens de carro, cujo GTA também é obrigatório, não é permitido levar o animal na parte traseira externa do veículo. O motorista levará multa se também transportar o animal no seu colo ou entre ele e a porta. Recomenda-se que o transporte seja feito em bagageiros, separados do banco traseiro por grades apropriadas. Caso o carro não tenha esse local, o bicho pode ir no banco de trás, de preferência com um cinto de segurança especial para animais, disponíveis em pet shops nos tamanhos P, M e G.

Se achar melhor não levar o animal, em nome do seu conforto e até mesmo do bichano (em caso de viagens longas e cansativas, ou lugares muito quentes), os hotéis para animais são uma opção viável. Esses locais aceitam qualquer animal doméstico, desde que esteja com a vacinação em dia. O ideal é que o dono conheça antes o lugar e que sejam levados para o hotel objetos e a comida com os quais o bicho está acostumado.

Com informações de IG Viagens.

________________________________

Colunista: Fernando Alonso é Turismólogo , especialista em Economia do Turismo.



Conheça

Seja Bem-Vindo!

A principal atração turística de Avaré é a represa de Jurumirim, formada pelo Rio Paranapanema, a 18 km da cidade. O local é território livre para a prática de windsurf, Jet skis, banana boat, caiaques, barcos e lanchas. É possível alugar embarcações nas marinas, passear de escuna ou fazer aulas de wakebord e stand´up. Ao redor da represa estão também hotéis de lazer, casas de veraneio e pousadas atraentes para casais, além do Camping Municipal.

Na área central, os principais atrativos são o Mirante do Cristo Redentor, o Santuário de Nossa Senhora das Dores, o Horto Florestal, artesanatos, entre outras atrações. Ao passar pela cidade, não deixe de provar nosso famoso doce de leite, iguaria muito tradicional de nosso município.


ENTRE EM CONTATO


Net @ - sites para internet